Login | Registar


Resultados por Página:
10 20 50 100

ESTUDAR NO REINO UNIDO É OPÇÃO PARA ESTUDANTES CUJAS MÉDIAS NÃO PERMITEM ENTRADA EM PORTUGAL

A OK Estudante, empresa de consultoria académica especializada, explica que o ensino superior do Reino Unido pode ser uma opção para os alunos portugueses cujas médias podem não ser suficientes para o acesso à Universidade em Portugal.

Em 2018, 23% dos alunos que entraram para o primeiro ano de licenciatura no Reino Unido, pela mão da OK Estudante, não tinham média suficiente para entrar no curso que pretendiam em Portugal.

Segundo os dados de 2018, a OK Estudante apoiou 802 alunos portugueses na entrada no primeiro ano de uma licenciatura no Reino Unido, dos quais, 30 tinham o 12º ano incompleto e 183 tinham o 12º completo, mas sem média para entrar no curso que pretendiam em Portugal.

A OK Estudante apoiou ainda 263 alunos a entrar no Foundation Year, dos quais 25 alunos tinham apenas 11º ano completo, 112 tinham o 12º ano incompleto, e 74 tinham o 12º completo, mas sem média para entrar no curso que pretendiam em Portugal.

Para Maria de Castro, diretora geral da OK Estudante, "Estes dados são encorajadores para os alunos que não têm médias para ingressar no ensino superior em Portugal e até para alunos com o secundário incompleto porque demonstram que há uma possibilidade de embarcarem num percurso educativo diferente, desafiante e de excelência no Reino Unido. Pela mão da OK Estudante, mais de 4500 estudantes portugueses já ingressaram no ensino superior do Reino Unido desde 2008."

Empresa de consultoria académica especializada no Ensino Superior do Reino Unido, a OK Estudante acompanha os estudantes portugueses na escolha do curso, universidade e cidade, auxiliando igualmente nos processos de formalização da candidatura. Nomeadamente na revisão, tradução e certificação dos documentos de candidatura, intermediando todo o processo entre o aluno e a universidade. Está igualmente presente no apoio ao processo de candidatura para obtenção do financiamento das propinas, por parte dos alunos, e oferece exames de inglês exclusivos e gratuitos de ingresso para algumas das universidades parceiras.

O Governo Britânico anunciou recentemente que os estudantes da União Europeia que iniciarem o curso nos anos letivos de 2019/20 e 2020/21 continuarão a ter apoio garantido, independentemente das decisões que possam advir do Brexit. O financiamento de propinas continuará através do programa Student Finance e o custo das propinas mantém-se igual ao que é aplicado aos estudantes britânicos, para toda a duração do curso.

O Reino Unido continua a ser um destino muito procurado pelos alunos portugueses: em 2017, quando a maioria dos países teve uma quebra de entradas no ensino superior britânico, Portugal registou um aumento de 24% nas admissões – mais 230 alunos – e a maior subida em toda a Europa. Em 2018, a procura portuguesa foi ainda maior: mais 535 admissões do que o ano anterior, um aumento de 54%, segundos os relatórios os dois últimos relatórios da Universities and Colleges Admissions Service (UCAS) do Reino Unido.

jm-madeira.pt