Login | Registar


Resultados por Página:
10 20 50 100

Portuguesa eleita vereadora em cidade rural inglesa que votou pelo Brexit

Carla Barreto, de 40 anos, foi eleita como independente na secção de Burrell com 343 votos, superando candidatos do partido Trabalhista e do partido Conservador e também ficou à frente por 13 votos do representante do eurocético UKIP, Denis Crawford, que mesmo assim foi eleito.

"Esta eleição é muito importante para a nossa comunidade e também para os migrantes em geral, porque fui a única estrangeira a ser eleita", afirmou, em declarações à agência Lusa.

Esta foi a primeira vez que a portuguesa, natural de Viana do Castelo e residente no Reino Unido desde 2006, concorreu a umas eleições britânicas e admite que não tinha grandes expectativas.

"Comecei a campanha tarde e até depois do período de envio dos votos postais. Mas tive uma grande resposta das pessoas", contou.

Thetford é uma pequena cidade rural com perto de 27 mil habitantes, com uns estimados 5000 portugueses e um número ainda maior de europeus de leste, que trabalham sobretudo na indústria alimentar da região.

No referendo de 2016 sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia, o distrito de Breckland, no qual em 2009 as autoridades britânicas calculavam que viviam cerca de 200 mil portugueses e do qual faz parte Thetford, votou 64% a favor da saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

"É uma região muito conservadora. Mas eu tentei abster-me das querelas políticas dos partidos, o Brexit é um assunto muito sensível. Fiz campanha para melhorar as condições e serviços dos residentes e para uma maior transparência e comunicação da autarquia", disse Carla Barreto.

Fundadora, com o marido, Joe Barreto, de uma associação sem fins lucrativos chamada 'Inspire Focus', de apoio aos jovens, e ativa localmente, a portuguesa admite que resistiu a ofertas de partidos políticos para concorrer por eles.

"Queria simplesmente representar a comunidade", vincou.

Os resultados das autárquicas em Thetford é uma amostra do que aconteceu a nível nacional, pois ambos os partidos Trabalhista e Conservador perderam um lugar cada e o UKIP dois à custa do aumento dos vereadores independentes para cinco eleitos.

Os resultados provisórios das eleições de quinta-feira mostram que, contabilizados os boletins em 239 de 248 concelhos em Inglaterra que foram a votos, o partido Conservador perdeu 1262 lugares, o partido Trabalhista 83 e o UKIP 143.

Pelo contrário, os Liberais Democratas ganharam 659, o partido Verde 185, e foram eleitos 598 candidatos independentes.

jn.pt